Banners

quinta-feira, 18 de maio de 2000

Bem vindo ao Dilema # 01 - 18/05/2011

COMO SER UM ILUSTRADOR PROFISSIONAL EM 10 LIÇÕES

Todos os dias, centenas de pessoas ingressam em escolas de desenho, faculdades de arte e design, compram livros de “how to draw”, de anatomia, comunicação visual etc., tudo isso com o intuito de se tornar um ilustrador.

Até aí, nada de mais. Todo mundo que quer ser ilustrador precisa realmente se dedicar ao estudo do desenho e seus conceitos, dos mais práticos aos mais subjetivos. Precisa desenhar muito, praticar os conhecimentos teóricos adquiridos, observar o mundo que o cerca e entender como as pessoas se comunicam, principalmente através de imagens.

Todas essas coisas são fundamentais, claro, mas não são elas que fazem um ilustrador profissional. Na real, isso compõe só uns 50% do ilustrador.

“Então, o que seriam os restantes 50%” – pergunta o garotinho gorducho de óculos sentado no fundo da sala. E eu respondo: Profissionalismo.

Entregar as artes no prazo correto, feitas de acordo com a pauta passada pelo editor, com qualidade e nas medidas certas, é tão importante quanto saber desenhar bem um rosto ou marcar pontos de fuga.

O fato é que se você quer ser um profissional, um bom profissional, você tem que seguir certos “protocolos” de trabalho.

Por isso mesmo é que eu separei 10 pontos importantes para ser um ilustrador profissional:

PRATIQUE O DESAPEGO.
A primeira coisa importante é que quem ilustra o faz para os outros e não pra si. Os desenhos são produzidos para passar a ideia de alguém para outras pessoas. Você não desenha aquilo que quer, desenha o que os outros precisam.

Pode parecer óbvio, mas a maioria dos aspirantes a ilustrador (e alguns ditos profissionais) não percebem isso. Ou não dão a mínima.

A ilustração não é sua obra de arte nem é a sua expressão pessoal. É uma arte feita com um propósito – o do editor.

Portanto, não se apegue a ela e faça sem reclamar o que o editor quer (desde que isso seja viável, claro).

ORDEM NA CASA!
Organize a sua maneira de trabalhar. Crie uma metodologia para isso e siga-a.

Não importa se seu método é extremamente pessoal e mais ninguém no universo seja capaz de entender como você faz as coisas. O que importa é que ele funcione e que seu trabalho corra bem e de maneira eficiente.

Isso garante a você atender todos seus clientes, sem stress e deixando tempo suficiente para viver sua vida pessoal.

Vá jogar videogame só quando seus afazeres estiverem em dia.

TIME IS MONEY!
Seu trabalho não está sozinho. Ele faz parte de um conjunto maior (um livro, uma revista...) e está ligado ao trabalho de muitas outras pessoas.

Quando o ilustrador atrasa, todo um processo de trabalho envolvendo essas pessoas vai por água a baixo. E da mesma maneira que você não gosta quando outras pessoas falham com você, elas não gostam que falhe com elas.

É claro que, eventualmente, passamos por problemas que estão além daquilo que podemos resolver e que podem acarretar atrasos, mas eles não acontecem o tempo todo. Ninguém vai acreditar em problemas recorrentes que sempre acontecem coincidentemente com os prazos dos trabalhos, por isso, não adianta ficar gripado toda semana em que você está com muito trabalho, o cliente sabe que você esta atrasado, e que ficou assim porque ficou jogando vídeo-game!

O bom profissional precisa saber avaliar o tempo que leva para fazer as ilustrações e decidir se consegue ou não cumprir o prazo estipulado.

Não pegar um trabalho por não ter condições de entregar no prazo é completamente normal e aceitável. Assumir compromissos que não pode cumprir é “um tiro no próprio pé”.

FAÇA SEMPRE SEU MELHOR, PEQUENO GAFANHOTO.
Todo trabalho tem sua importância, não os menospreze!

Procure sempre fazer o melhor que você pode dentro as circunstâncias que envolvem as ilustrações (prazo, estilo, público alvo). Se não está fazendo o melhor que pode o errado é você.

“É NÓIS NA HUMILDADE, NÉ MANO?”
Não importa o quanto você desenhe bem. Não importa o quanto você acha que desenhe bem ou o quanto você goste de seu trabalho e de si mesmo: sempre tem alguém que é melhor que você. Fato.

Aceite que seu trabalho não é a oitava maravilha do mundo moderno, que você sempre terá coisas a melhorar e que há outras pessoas no mundo que ilustram tão bem ou ainda melhor do que você. Ponha isso na cabeça e faça o seu melhor, ouça as críticas e as aceite. Use-as para melhorar suas artes.

JUSTIÇA, VERDADE, HONRA E LEALDADE.
Ética: Pratique.
Não copie ou use de maneira indevida artes de outros ilustradores... Além de não ser ético, é crime.

Não adianta tentar disfarçar, espelhar a imagem no Photoshop, mudar a cor do cabelo... Alguém vai perceber o plágio, mais cedo ou mais tarde. E aí, além da “dor de cabeça” você conseguirá uma má reputação no mercado.

COM QUE PORTFÓLIO EU VOU?
Monte seu portfolio com cuidado: Ele é você.

Para efeito geral, os trabalhos no seu portfolio são tudo o que você sabe e o melhor que pode fazer. Ninguém vai imaginar que você pode fazer mais coisas além daquilo que está apresentando.

Separe algo entre 15 e 20 trabalhos, que abranjam todos os estilos de desenho que você faz, mostrando que você sabe desenhar pessoas, animais, veículos, objetos, cenários...

Nunca, nunca coloque cópias de desenhos dos outros. Além de antiético, pega mal e não serve para nada – só pra mostrar o quanto o cara que você copiou é bom.

E por último, só use trabalhos que você consegue e quer executar.

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR!
Faça a sua parte. Ela é de inteira responsabilidade sua. Não fuja das coisas que tem que fazer, não tente jogar suas responsabilidades sobre os outros, não dê desculpas esfarrapadas por aquilo que não cumpriu e não fique culpando terceiros pelos seus erros. Assuma o que faz, tanto de bom quanto de ruim.

AMIGO É COISA PRA SE GUARDAR...
Não enxergue outros ilustradores como concorrentes e possíveis “ladrões” de trabalho (e nem fique tentando roubar trabalho dos outros). Cada um tem seu espaço e há bastante mercado para todo mundo.

Os profissionais se conversam e dividem trabalhos, experiências etc. Ninguém consegue fazer tudo sozinho e você pode obter muita ajuda de outros profissionais.

Portanto, não tente vencê-los... Una-se a eles!

RUN, FORREST, RUN!
Não fique sentado esperando que os trabalho caiam no seu colo. Acredite: Isso não vai acontecer!
Você precisa correr atrás, oferecer seus serviços junto às pessoas que podem usá-los, mostrar seu portfólio por aí e fazer a propaganda de si mesmo.

Se ninguém sabe que você existe e nem o que faz, como espera que alguém lhe passe trabalho?

Enfim, seguindo estas 10 ideias básicas somadas ao empenho no estudo do desenho e ilustração, qualquer um pode ser um ilustrador profissional.

Fácil, não?

É isso.

RONALDO BARATA
Diretor de Arte – Quanta Estúdio de Artes

7 comentários:

  1. Achei engraçado e informativo!
    Criar motivação para trabalhar e até para aprender é uma castração de ego complicada, aceitar críticas (muitas vezes nada construtivas) e conselhos e zás e zás e zás.
    Ri muito com “É NÓIS NA HUMILDADE, NÉ MANO?”, mas é a verdade, trabalhar seu próprio ego e aceitação c'est complicado.
    Entre muchas outras coisas, tudo depende do esforço próprio de ao invés de ficar alienado tirar aqueles exercícios pra fazer e faze-los!
    Se aplica não só pra ilustração esse guia!
    :D

    ResponderExcluir
  2. Ai TIU!
    Fala pra NOIS a diferença das copia e das referência!
    Até onde se copia e até onde NOIS se inspira....
    É NOIS que voa bruxão....

    ResponderExcluir
  3. Uau, que tapa na minha cara. xD
    Muito obrigado. Eu precisava disso.
    Até mais. Preciso praticar um pouco...

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelos comentáros.
    NeD... continue acompanhando as próximas colunas que farei. O tema que vc solicita estará presente no futuro.

    ResponderExcluir
  5. É uma pena que vou ter que jogar menos videogame, mas fazer o que... agora deixa eu ver onde deixei meus lápis....fui

    ResponderExcluir
  6. É uma pena que vou ter que jogar menos videogame, mas faz parte... agora deixa eu ver onde deixei meus lápis, fui!

    ResponderExcluir