Banners

sexta-feira, 18 de julho de 2014

ALAN MOORE ABRAÇA A REVOLUÇÃO DIGITAL DOS QUADRINHOS

Tecnologia, aplicativos e gadgets são palavras que agora combinam com Alan Moore, por mais improvável que pareça.

O roteirista de quadrinhos conhecido por trabalhos que modificaram o gênero de super-heróis como Watchmen, V de Vingança, Liga Extraordinária, entre outros, sempre demonstrou receio em readaptar suas obras em outras mídias, sendo defensor de que quadrinhos muitas vezes só funcionam em páginas. Mas agora o cenário é outro, aplicativos como o Comixcology dominaram o mercado e resultou em uma grande baixa nas vendas da mídia tradicional física dos quadrinhos.

Esta realidade deu a Alan Moore uma nova porta, seguindo a filosofia, se não pode vencê-los junte-se a eles... Este é o Electricomics, o aplicativo tem o objetivo de transportar o mais fielmente a experiência de ler um quadrinho. O conceito inicial saiu do filme, que está sendo desenvolvido desde 2012 pelo escritor, “In the Show”. Em uma cena diversos garotos estão sentados lendo quadrinhos em dispositivos transparentes e com a capacidade de interagir com a história.

Ed Moore, o designer responsável pelo projeto (não, eles não são irmãos), explicou para o jornal The Guardian que a diferença esta na possibilidade de leituras: “Você não possui a mesma leitura [que no modo tradicional] e o outro problema é que o digital tem uma capacidade muito maior que a folha plana, e esta vantagem não esta sendo explorada”.

A ideia se torna diferente dos outros aplicativos, também, porque quer incentivar esses garotos a fazerem quadrinhos, que eles se envolvam, “As histórias produzidas não demonstraram apenas uma possibilidade, mas, temos esperança, inspirem outros a fazerem o mesmo”, explica a página oficial do site. A equipe não entrega muito, mas será colocado um kit de ferramentas pra que os usuários façam suas próprias historias.

O aplicativo ainda não esta disponível para compra, mas o primeira adaptação será do BIG NEMO, escrito pelo próprio Moore e desenhado por Collen Doran (Sandman, Wonder Woman), é uma história de 48 páginas que homenageia a obra “Little nemo” de Winsor McCay. Uma junção perfeita já que o quadrinho de McCay é considerado um dos modelos de narrativa nas palavras de Alan Moore “é algo que não poderia ser melhor”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário