Banners

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Revista da Folha entrevista Renato Guedes, desenhista de Superman e Wolverine

Olá, pessoas!
Nosso querido amigo e professor Renato Guedes, veterano das HQs, e que um dia foi nosso aluno, concedeu recentemente uma entrevista à Revista da Folha, e nós reproduzimos abaixo um trecho da tal entrevista.


'Eu não me adapto em outra cidade'
Artista trabalha para grandes editoras dos EUA direto da Barra Funda

Por THALES DE MENEZES
O paulistano Renato Guedes tem 30 anos e cara de moleque. E sua profissão também parece coisa de moleque. Desenhista de quadrinhos, desde 2003 trabalha para as maiores editoras americanas. Passou três anos desenhando Superman para a DC e começou agora na rival Marvel a nova série da revista Wolverine.

Recém-casado, mora na Barra Funda. "Faço tudo daqui, troco e-mails com a editora, com o roteirista."

Seu primeiro trabalho, ainda adolescente, foi um folheto para uma auto escola. O grande passo foi um curso na Fábrica de Quadrinhos, hoje a escola Quanta, na qual dá aulas.

Adorado pelos fãs quando vai à maior convenção de HQ do mundo, em San Diego (EUA), Guedes não quer sair daqui. "Viajo bastante, mas sinto que não vou ser feliz lá. A vida americana é diferente. Sou muito latino."

Qual o maior herói da cidade?
O Super-Paulistano! Vencer a violência, o trânsito, as enchentes, o alto custo de vida, o caos na saúde, a poluição... Isso tudo faz de qualquer cidadão um herói por natureza. Super-poderes pra quê?

Qual o maior vilão de São Paulo?
Os mesmos que atacam as grandes cidades: o descaso, a pobreza, a violência... uma lista enorme. Nem a Marvel e a DC juntas conseguiram criar tantos super-vilões. São Paulo supera Gotham City e Metropolis.

Qual o lugar perfeito por aqui para esconder a bat-caverna?
Bem, a bat-caverna fica embaixo da mansão do multimilionário de Gotham City. O bairro do Morumbi poderia ser o cenário ideal, mas ver o bat-móvel preso no trânsito da marginal Pinheiros todos os dias não faria nada bem para a reputação do herói. Escolho o prédio da FIESP, na av. Paulista, como o lugar mais provável para encontrar uma versão brasileira do Bruce Wayne e abrigar a batcaverna. Uma saída secreta para o túnel da 9 de Julho seria perfeita. Mas, claro, evitando os horários de pico.

Que herói da editora Marvel pode se encaixar melhor em São Paulo?
O Homem-Aranha se daria muito bem. Com a cidade parada lá embaixo, ser capaz de balançar de um edifício para o outro seria uma grande vantagem.

E da DC Comics, qual é o melhor personagem para atuar na cidade?
Que tal o Aquaman? Mas ele teria de sofrer algumas adaptações para nadar no Tietê e no Pinheiros e ser imune à leptospirose das enchentes.

Que cenário você escolheria para um batalha épica de super-heróis?
A avenida Paulista, palco de manifestações e paradas. Contanto que a batalha não se dirija ao Palácio dos Bandeirantes, onde eles enfrentariam uma chuva de balas de borracha. É o mesmo tratamento para vilão, herói ou professor.

O Renato faz parte da trupe de profissionais da área de quadrinhos que ministra o curso Art & Comics / Quanta - HQ Especializada em Super-Herois para Mercado Norte-americano na Quanta Academia de Artes.

Ah, e não se esqueçam, hoje tem o lançamento oficial do álbum Xampu, do seu Roger Cruz. Confira os detalhes AQUI.

É isso aí.
Grande abraço a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário